Desenvolvimento do Turismo: Centro Empresarial e Municípios de Flores da Cunha e Nova Pádua assinam termo de compromisso


    O Centro Empresarial de Flores da Cunha e os municípios de Flores da Cunha e Nova Pádua assinaram um termo de compromisso para a concretização do Plano Municipal de Turismo. O prefeito de Nova Pádua, Ronaldo Boniatti, esteve no CE na última sexta-feira, com o presidente da entidade, Alessandro Cavagnolli, para assinar o documento. Já na manhã desta segunda-feira, o prefeito de Flores da Cunha, Lídio Scortegagna, a secretária de Turismo, Indústria, Comércio e Serviços, Fátima Ortiz, e o presidente da Câmara de Vereadores, Samuel de Barros Dias, concretizaram o ato no Centro Empresarial com a presença de toda a diretoria executiva da entidade.

    O Plano de Desenvolvimento do Turismo das cidades de Flores da Cunha e Nova Pádua (2019/2022) foi construído durante a oficina realizada em 12 de março de 2019, sob a coordenação da consultora do Sebrae e especialista em desenvolvimento de territórios turísticos Ivane Fávero, e com a contribuição de todos participantes, pessoas de diversas áreas de atuação. Neste dia foi formado o Comitê Gestor que realiza reuniões periódicas para o aprimoramento do projeto que será apresentado após a finalização desta etapa.

    Fazem parte do grupo: Alessandro Cavagnolli, Gilberto Boscato, Vitor Hugo Zenatto e César Conz representando a entidade; Maico Morandi, da Picolo Paradiso; Fátima Ortiz, Secretária de Turismo de Flores da Cunha; Régis Pradela, da CDL; Cinthia Athaides, do COMTUR Flores da Cunha; Ediane Susin, do COMTUR Nova Pádua; Liana Fontana, do Insieme; Mônica Zampieri, da Moni Confecções; Maurício Vanelli, da Agência Bicofino; Armando Meraz Castillo, do Ecoturismo; Sérgio Augustin, do STR; Fernando Zim, da Meu Móvel; Samuel Otávio Marcon; Samuel de Barros, da Câmara de Vereadores; Débora Viapiana, da Vinícola Viapiana; Roberta Boscato, da Vinícola Boscato; Daniel Salvador, da Vinícola Salvador e Ivane Fávero, do SEBRAE.  

    O dossiê de 82 páginas deixa claro que é fundamental que para que as ações ‘saiam do papel’, o Plano seja monitorado pelo Comitê Gestor instituído para garantir a continuidade das ações, independente da troca da gestão pública ou privada (prefeituras ou entidades), apoiadoras do projeto. O documento ainda orienta que o mesmo seja enviado para a Câmara de Vereadores e seja incluído na Lei Municipal de Turismo, e finaliza dizendo que: “Entende-se que os municípios referidos no Plano têm as condições ideais para se configurar como um dos principais destinos turísticos do Rio Grande do Sul, sendo fundamental, para isso ocorrer de fato, a implementação das ações propostas”.

 

Créditos fotos: Eriel Giotti

 




FILIADO A: